Terapia familiar pode ser alternativa para superação de conflitos do dia a dia

A psicoterapia auxilia no processo de autoconhecimento, no enfrentamento de conflitos, na superação de desafios, nos problemas de comunicação, entre outros tantos aspectos. A psicóloga do Educentro Élida Fluck Neto ressalta que todas as pessoas têm conflitos e sofrimentos, mas a psicoterapia se torna uma alternativa importante quando há uma dificuldade significativa de lidar com esses conflitos, com prejuízos persistentes na escola ou no trabalho, na convivência familiar e com os amigos. “O mais comum, no entanto, é que as pessoas busquem o tratamento psicológico em momentos de crise e de grande sofrimento”, relata a especialista.

Conforme Élida, nos momentos em que os conflitos psicológicos se tornam graves a ponto de nos atrapalhar na vida acadêmica ou profissional, normalmente impactam também em outras esferas da vida. “A psicoterapia ajuda a identificar o papel do paciente nos problemas enfrentados e a buscar novas formas de lidar com eles”, pondera.

Élida ressalta que no caso de crianças e adolescentes, o apoio da família é fundamental para começar e manter qualquer tratamento psicológico. Além das sessões individuais, outra possibilidade é a terapia familiar. Essa modalidade é indicada quando o profissional observa que o sofrimento do paciente está significativamente relacionado à dinâmica de funcionamento daquele sistema familiar.

“É frequente vermos pais com dificuldades de estabelecer limites para os filhos, rivalidades importantes entre irmãos, dificuldades do casal de lidar com seus problemas conjugais, envolvendo as crianças em suas brigas, entre outras situações”, exemplifica a psicóloga. Élida destaca que esse tipo de terapia inclui todos os membros da família que estejam diretamente envolvidos com o paciente identificado – aquele que está apresentando sintomas naquele momento. A especialista explica que o mais comum é que façam parte da terapia de família todos os que moram na mesma casa, mas outros membros podem ser acionados se tiverem uma relação significativa com o paciente identificado. Para saber mais detalhes sobre esse tipo de tratamento, entre em contato com o Educentro.

Compartilhe esse Post