Crianças com dislexia podem ter problemas emocionais

A dislexia é um distúrbio de aprendizado que também pode afetar emocionalmente seus portadores. Em geral, o aspecto mais enfatizado são os problemas escolares derivados da troca de letras e maior dificuldade de compreender atividades em sala de aula. Porém, pouco se comenta o alto índice de disléxicos com sintomas como ansiedade, por exemplo.

Especialistas apontam que é comum surgirem sensações como insegurança, desapontamento e raiva. As dificuldades geradas pelo distúrbio também podem provocar uma “síndrome de incompetência” no portador de dislexia. Outro fator a ser levado em consideração são as reações negativas das outras pessoas, o que piora ainda mais a situação, se for levado em consideração que o próprio paciente já está frustrado ao não atingir metas traçadas por ele mesmo.

A melhor atitude que pais e educadores podem tomar para auxiliar na redução desses sintomas emocionais é o apoio adequado, evitando a busca somente dos erros e destacando avanços e progressos revelados durante o processo de aprendizagem. Dessa forma, será possível reverter a sensação de fracasso e proporcionar uma crescente autoestima e motivação para as crianças com dislexia. O artigo O Lado Emocional da Dislexia, publicado pelo site Psicologia do Brasil, aprofunda o assunto.

Pesquisas internacionais apontam que a dislexia atinge de 5 a 10% da população infantil. A causa desse distúrbio de aprendizado ainda não é totalmente conhecida. Porém, sabe-se que o fator genético é determinante.

Conforme estudos, crianças disléxicas não desenvolvem a leitura na mesma velocidade que os demais colegas. Além do ritmo de leitura ser mais lento, o portador do distúrbio costuma trocar letras ou escrever ao contrário. Esses problemas podem resultar em baixo desempenho escolar.

Compartilhe esse Post